Um novo clássico

Salve pessoal, aqui é o Lucas Quaresma, o “Quaresmão da Massa” e hoje apareço para comentar sobre o último texto do site da Fantasy Flight Games (A New Classic) Gostaria de iniciar esse texto lembrando a célebre cena de Star Wars Episódio VIII, em que Poe Dameron efetiva o sensacional Talon Roll, voltando para a batalha e (hehehehe) ganhando tempo ao conversar com General Hux!!!

Assim que saí da sala de cinema, me peguei empolgado a utilizá-lo em alguma lista de X-Wing. Nunca me esquecerei da formação: Poe Dameron (HotR) com Autothrusters, Black One, Advanced Optics, R2-D2 (sei que, pelo filme, teria de ser BB-8) e Veteran Instincts (as vezes, substituído pelo Expertise). Como bate. E como aguenta na mesa.

Pois é…. A evolução da querida T-65 apresentou essa nave que chegou com força nas mesas rebeldes. Acompanhada por Miranda, Dash, Kannan e Rey, tivemos muitas listas consistentes e poderosas. Mas, com o anúncio da segunda edição e a divisão de facções (resistência e aliança rebelde), tivemos de aguardar um pouco para obter informações sobre Poe, Jess e outros. E o momento chegou.

A Fantasy Flight acaba de anunciar informações sobre o pacote de expansão da X-Wing T-70, disponível nas lojas (infelizmente não nas nossas) ainda em 2018. Esse pacote, juntamente com o kit de conversão da resistência, visa apresentar uma “nova facção” ao jogo (assim como a Primeira Ordem, que falaremos no momento oportuno). Este pacote de expansão apresenta quatro “Quick Builds”, permitindo qualquer jogador (veterano ou novato) comece a utilizar assim que efetuar a compra.

O pacote indicado apresenta, de imediato, o melhor piloto da resistência (nosso querido Poe Dameron) combinando iniciativa elevada (6) com habilidade efetiva. Após efetuar uma ação, é possível efetuar uma nova ação vermelha (ao custo de uma carga), lembrando um pouco nosso tão utilizado Push The Limit. Essa habilidade permite uma versatilidade ao piloto, permitindo reposicionamento (com boost).

Achou que isso era tudo que o pacote permitiria? Achou errado otá***. Com a carta Integrated S-foils “fechada”, a T-70 pode efetuar barrel roll (branco ou vermelho após uma ação de foco) ao custo de um dado a menos de ataque se o alvo não estiver em seu bullseye. No caso específico do Poe, podemos ter ai um combo muito eficiente.

Outro ponto interessante, no artigo, é a referência ao nosso querido BB-8. Este astromecânico apresenta ainda mais opções de navegação garantindo duas cargas, que podem ser utilizadas para execução de boost ou barrel roll antes da execução de uma manobra azul. Agora, imaginemos a combinação dessas ações com a habilidade de Dameron; fica muito difícil prever o posicionamento final desse ace.

Mais uma referência, é o título (único) Black One. Ele permite a execução de uma ação de Slam que, combinada com a perda de um token de carga, “presenteie” a T-70 com um token de ion em troca da remoção do token de Disarm (lembrando que, se o piloto não tiver nenhuma carga disponível, não poderá efetuar o Slam). A imagem abaixo apresenta um exemplo do uso do BB-8, movimentação, uso do título Black One e ativação da habilidade do Poe, adquirindo uma mira no adversário.

E os novos aces? Afinal, nem só de Poe Dameron vive a expansão. De imediato, temos Karé Kun, piloto humana que serviu a república como membro do Esquadrão Rapina. Esta se juntou a Poe Dameron e Iolo Arana no conflito contra a Primeira Ordem, sendo promovida a capitã de sua própria esquadra: Stiletto.

A habilidade da piloto permitirá execução de ”um voltando”em sua lista de opções para boost, apresentando uma excelente opção de posicionamento após uma manobra. Outra opção bem interessante é o uso do BB-8, permitindo um boost antes de movimentação (claro, respeitando-se as regras de carga).

Outro piloto apresentado no artigo é Joph Seastriker que, segundo entendemos, garantirá um token de evade toda vez que perder um escudo. Isso pode garantir sobrevivência a ataques em sequência. Infelizmente, não temos mais informações sobre ele. Mas a FFG nos apresentou os pilotos genéricos:

Uma coisa bastante interessante é a iniciativa 4 do Black Squadron, se equivalendo a alguns aces. É fato que o custo do piloto também precisa ser avaliado. Mas é um bom começo. Ainda nessa linha, o Red Squadron possui uma iniciativa média (3) o que, dependendo do seu custo, pode ser uma boa aquisição para “força bruta”. Aliás, falando nisso, o Blue Squadron também tem uso.

Bom, é isso ai. Aguardamos a chegada desse pacote de expansão bem como o kit de conversão da resistência para tirar a T-70 do hangar. Até a próxima e UM ABRAÇO DO QUARESMA!

Fonte: https://www.fantasyflightgames.com

 

Deixe uma resposta