TOP SCUM – Guri 2.0

Bem vindos pilotos, Barbosa na área!

 E neste meu primeiro post no novo portal do Uaiwing, pretendo lhes mostrar qual o melhor piloto da escória no X-wing Segunda Edição, e porque este piloto é a Guri!

De acordo com o Wookipedia, a Guri é uma androide, réplica perfeita de uma mulher humana, que foi desenvolvida para o Príncipe Xizor, para ser uma assassina.

No X-wing 1.0, a Starviper e a Guri praticamente não apareceram no cenário mundial, exceto em listas pouco competitivas, ou nas mãos de pilotos habilidosos e extremamente treinados, mas sempre em papéis secundários no metagame.

Porém, com o lançamento do X-wing 2.0, as possibilidades de jogo da nova Guri aumentaram muito, e prevejo que esta será uma nave extremamente utilizada e uma das mais fortes no jogo.

Para lhes explicar os motivos da minha euforia, vou separar minha explicação em 05 tópicos:

1) Redução da eficiência das bombas

Uma das mais importantes mudanças da primeira edição para a segunda edição é a mudança de como as bombas são lançadas.

Hoje, existe uma fase de sistema, antes da movimentação de todas as naves, aonde as bombas são lançadas, além de que também não existem mais bombas de ação que são lançadas após a movimentação das naves.

Isto significa maior previsibilidade da posição das mesmas, e portanto sendo mais facilmente evitadas.

Além disto, os efeitos das bombas também foram nerfados. Elas dão menos dano, e existem menos modificadores e amplificadores de efeitos das bombas.

Isto faz com que naves, como a Starviper, que não conseguiam jogar no 1.0, possam aparecer no 2.0.

2) Iniciativa Alta

A nova Guri, avançou muito em relação à antiga de PilotSkill de 5, que era considerada de média a baixa, para uma iniciativa altíssima na segunda edição (Iniciativa 5 de um máximo de 6);

Hoje, a quantidade de pilotos com Iniciativa 6 e superior à Guri, e que terão prioridade de movimentação é extremamente limitada a 2 ou 3 aces em cada facção.

Além disto, a quantidade de pilotos concorrentes em mesma Iniciativa, também é limitada.

Isto significa que com um bom BID, a Guri se tornará uma Arc dodger na mesa.

3) Excelente habilidade de Piloto

A habilidade de piloto da Guri na primeira edição sempre foi muito interessante.

Porém na segunda edição, com a eliminação de cartas como Push the Limits, que aumentavam a quantidade de ações, ou Expertise que maximiza a eficiência da nave, a habilidade da Guri, de ganhar um foco caso esteja em Range 1 de uma nave inimiga, é uma das poucas formas de executar mais de uma ação por turno.

4) Versatilidade da Nave

A Guri é uma nave que básica, possui 62 pontos (31% dos pontos do Esquadrão), e que possui inicialmente 05 slots de upgrades, sendo, 01 Talento, 01 Sensor, 01 Torpedo, 01 Modificação e 01 Título

Além disto a nave possui um título único, Virago, que custa 10 pontos, e além de uma habilidade muito interessante, adiciona um slot adicional de modificação.

Isto cria uma grande quantidade de possibilidades de builds para a Guri, desde uma versão mais leve, com upgrades mais baratos, até versões pesadas aonde a nave equipa quase 50% da lista.

Recentemente, inclusive, em um campeonato internacional, vimos a Guri em uma lista de duas naves junto com o Boba Fett, que também melhorou muito, numa versão pesada.

Deixo duas versões que acho interessante, uma mais leve, para ser usada em listas de 3 naves, ou junto com alguma nave mais carregada, e outra mais pesada.

Versão Leve:

Esta é uma versão que planejo utilizar ao lado do Fenn Rau e mais uma nave leve, para block, que poderia ser uma Quadjumper, ou mesmo outra starviper de iniciativa menor.

Nesta primeira versão, a Guri vem equipada somente com dois upgrades, sendo um talento e um sistema.

Para exemplificar, escolhi o talento Outmanouver junto com Advanced Sensors, isto pois a nave torna-se bastante móvel com o Adv Sensors, como veremos no Próximo Tópico, aumentando a quantidade de vezes que o talento Outmanouver é utilizado.

Entretanto, existem muitas excelentes opções de talentosque combinam com esta versão Light da Guri:

• Lone Wolf:

Lone Wolf ajudaria a Guri no endgame, pois ela gastaria sua ação para o Arc Dodge, podendo pegar um foco com sua habilidade, e ainda poder ativar um reroll com o LW.

Porém, como planejo usar esta versão em listas de 03 naves , o Lone Wolf poderia não ser tão utilizado.

• Predador:

Caso você não possua os pontos para algo mais pesado, Predador sempre será uma boa opção ainda mais se a nave estiver equipada com Adv Sensors, já que facilita o posicionamento para colocar os inimigos no Bullseye;

• Debris Gambit:

Esta é outra opção viável, pois em uma situação de combate em R1, com Advanced Sensors, mesmo longe dos asteroides, você poderia fazer uma ação vermelha antes de mover com uma movimentação azul, o que tiraria seu Stress. Se colocasse sua nave em R1, conseguiria jogar com Foco (da habilidade da Guri) e evade.

• Elusive:

Esta é uma excelente opção para a Guri, pois torna-a mais resistente, e se estiver equipada com Adv Sensors a nave ainda consegue fazer ações antes do Talon Roll, que esta nave acaba usando muito.

É uma forma de tornar seu turno de retorno ao combate mais eficiente.

Como opção de Sistema, entendo que o Adv Sensors é a melhor opção para a Guri, podendo também utilizar FireControl System.

 

Versão Pesada:

Se você achou que a versão anterior já era bastante versátil, irá se surpreender com a quantidade de opções para a Guri.

Para simplificar, deixo 03 builds diferentes da Guri, que acho interessante:

Build 1:


É uma build extremamente móvel, podendo fazer Boost vermelho na fase final por causa do título, Boost ou Barrel antes de mover com o Adv Sensors, ou até mesmo um Boost “gratuito” após uma manobra longa, mesmo estando estressado, com o Afterburners.

Esta build deixa a Guri extremamente imprevisivel.

Se quiser ainda mais imprevisibilidade, poderia utilizar o talento Daredevil, que em conjunto com Adv Sensors, poderia deixar a movimentação da nave ainda mais imprevisível.

Build 2:

Nesta configuração, a Guri possui 5 de casco e 3 shields, podendo rerolar dados de defesa ou ataque com Lone Wolf, além do Advanced Sensors que é uma grande vantagem de posicionamento.

Build 3:

Esta seria uma opção intermediária com Proton Torpedos e Munition Failsafe.

5) Movimentação Imprevisível

Na primeira edição do X-wing , a Starviper possuía uma título que a capacitava a executar os rolamentos com a régua de 1 bank.

Já no 2.0, todas as Starvipers ganharam uma habilidade de nave, chamada Microthrusters, que faz a mesma coisa.

Ou seja, as Starvipers continuaram com uma incrível mobilidade de jogo, porém como agora a Guri possui uma iniciativa mais alta, esta imprevisibilidade a tornou muito mais perigosa, como uma assassina deveria ser.

No Fórum da FFG, existe um post que mostra a manobrabilidade da Guri na primeira edição do X-wing.

É claro que na primeira edição, as posições do rolamento eram muito mais editáveis, mas mesmo assim, na imagem abaixo, feita pelo usuário Sabre 7, é possível entender a quantidade de posições que a nave poderia terminar ao fazer um rolamento antes de se mover.

A imagem abaixo, exemplifica a dificuldade que um jogador de Luke Skywalker teria para descobrir aonde a Guri poderia parar.

Veja por exemplo a quantidade de posições diferentes que ela poderia executar um rolamento com Advanced Sensorsantes de se movimentar.

Se o jogador escolheu uma manobra de 1 fechado para direita, com um rolamento para a esquerda e para trás, a Guri conseguiria fugir do arco do Luke Skywalker e ainda ativar sua habilidade.

É Luke… melhor usar a Força…

Na figura abaixo, publicada no site da FFG , é possível verificarmos a diferença entre os rolamentos feitos com a régua 1 reto e 1 bank:

Ou seja, a possibilidade da nave fazer um rolamento com a régua de “1 bank” para frente ou para trás ou um boost, antes ou depois de se mover, faz com que seu adversário tenha uma grande dor de cabeça para descobrir aonde sua nave vai parar!

Conclusão:

Quando somamos, a redução da eficiência das bombas, o aumento de PS (Iniciativa agora no 2.0), sua habilidade de piloto que melhorou sua eficiência em decorrência do maior equilíbrio do jogo, sua versatilidade de builds e sua excepcional manobrabilidade ainda mais se equipada com Advanced Sensors, a Guri com toda certeza passará de uma mera figurante na primeira edição, para o protagonismo na Segunda Edição.

 

 

Deixe uma resposta