Força nos números

Por Hamilton Baêta

No ultimo dia 31 de Março tivemos aqui em BH, a terceira etapa da Taça BH de X-Wing, onde tive o prazer de me sagrar campeão da mesma, em uma etapa onde contamos com vinte e dois competidores. Usei um arquétipo de squad que gosto de usar desde a época do 1.0: o TIE Swarm.

Howlrunner; Iden Versio; Valen Rudor; Academi Pilot x 4

A ideia da lista é tentar solar o máximo de dano possível em uma só nave adversária, tentando removê-las antes que o as TIEs sejam destruídas, o que diminui o seu poder ofensivo. Howlrunner está lá para tentar garantir o máximo de dano possível com suas re-rolagens, Iden Versio para oferecer uma sobrevida maior à Howl, Valen pode ser chato de matar se conseguir ficar com foco e evade e os quatro pilotos de academia são usados para fechar os espaços do oponente.

Adversários:

Primeiro Round: Mário Lúcio
Squad: Muse (Stealth Device; Fanatical), Null (Stealth Device), Scorge (Stealth Device; Fanatical), Blackout (Trick Shot; Pattern Analyser)

Minha idéia inicial no confronto era tentar derrubar a TIE Silencer primeiro, por concentrar o maior número de pontos e ser difícil de matar no late game, mas meu adversário foi inteligente e a colocou na retaguarda da sua saída inicial. A alternativa foi atacar os alvos que me eram oferecidos e por consequência, não tive um bom aproveitamento em concentrar os ataques, mas consegui boas manobras e levar as TIE FO e a Silencer próximo ao fim da partida. Resultado final: 200 x 80

Segundo Round: Raphael Lima
Squad: Kylo Ren ( Pattern Analyser; Hate); Quickdraw (Special Forces Gunner; Fanatical, Shield Upgrade, Fire Control System, Pattern Analyser); Midnight (Fanatical)

Raphael usou uma das minhas listas preferidas e novamente enfrentando uma Silencer, desta vez optei por uma saída onde tentaria aguardar quais das naves o adverário me ofereceria. Sabiamente meu adverário poupou o Kylo na inicio do jogo e se adiantou com Midnight e Quickdraw. Consegui um bom posicionamento e concentrando o fogo das sete TIEs, Quickdraw foi destruida na primeira troca de tiros com somente uma das minhas TIEs tendo sofrido dano. Mais dois turnos e a TIE FO foi vencida e com outros dois, Kylo também foi derrotado. Resultado final: 200 x 0.

Terceiro Round: Breno Andrade
Squad: Rey ( Rose Tico, Finn, Shield Upgrade, Reys Millennium Falcon); Poe Dameron (Pattern Analyzer, Black One, Integrated S-Foils, R4 astromech, Shield Upgrade, Heroic)

Praticamente em todos os torneios Extended enfrentei esta lista de Rey e Poe, sendo uma verdadeira moedora de TIEs, passando uma grande quantidade de dano, principalmente pela possibilidade de ser flanqueado pelo Poe e do próprio poder ofensivo da Rey. Novamente, consegui um bom posicionamento e consegui derrubar o Poe com dois turnos, deixando somente a Rey para o late game. O número de adverários se mostrou fatal para a Falcon e me sai vitorioso mais uma vez. Resultado final: 200 x 58

Quarto Round: Paulo Filho
Squad: Fenn Rau (Fearless); Boba Fett (Proximit Mines, Shield Upgrade, Han Solo, Perceptive Copilot, Marauder)

Figura certa em qualquer torneio de 2.0 Boba Fett é um dos pilotos mais terriveis para se enfrentar, assim como o ace Scum, Fenn Rau. Paulinho é um dos melhores pilotos da cidade e em três de nossos confrontos ele já havia levado a melhor em duas, pois seu squad é totalmente favorável ao meu estilo de jogo com o TIE Swarm: Atacar a range 1 e forçar os bumps. Saindo do meio do mat, acelerei a formação ao máximo e logo estava trocando tiros com a Firespray de maneira pouco eficaz. No turno seguinte, ainda com as sete TIEs, troquei de alvo e foquei em Fenn Rau, que sucumbiu levando poucas das minhas naves. O restante da partida foi uma caça a Boba Fett, perdendo TIEs para as minas de proximidade e para a capacidade absurda de dano e defesa do piloto Scum. Por fim, a Firespray tombou depois de uma partida suada. Resultado final: 200 x 97

Este torneio sedimentou ainda mais as minhas percepções sobre o 2.0 e suas alterações significativas nas mecânicas em relação ao 1.0: O jogo se tornou mais “mortal”, o dano parece entrar com mais facilidade que em seu predecessor, com poucas chanches de modificações dos dados verdes. Por isso mesmo, qualquer habilidade de modificação de dados, ou re-rolagens se tornam bem eficientes.

Porém, mesmo tendo sendo o vencedor do evento, tive certeza que todos os presentes foram os grandes vitoriosos, uma vez que nosso querido hobbie se encontra em um momento tão turbulento, contar com um número tão siginificativo de jogadores, é melhor e vale mais do que qualquer título. Salute a todos nós que fomos campeões!!

1 comentário sobre “Força nos números”

Deixe uma resposta